plastica aumenta a autoestima

Plástica: autoestima e saúde

O cuidado com o corpo e com o rosto está cada vez maior, fazendo com que a busca pelas cirurgias plásticas aumente. Os procedimentos mais procurados por pessoas entre 36 e 50 anos de idade são: implante de silicone, lipoaspiração, redução das mamas e cirurgia das pálpebras.

Se você tem vontade de aumentar sua autoestima e acredita que a plástica será capaz de melhorar sua qualidade de vida, vá em frente! Se você demonstra expetativas irreais, sofre sintomas psicológicos e acredita que após a cirurgia todos os seus problemas serão resolvidos, provavelmente não está na hora de se submeter a qualquer procedimento.

Eu posso escutar um “não” do cirurgião plástico?

Sim! A autoestima não está restrita à beleza física. Se você tem em mente que não é bom ou boa o suficiente em nada, não tem amor próprio e é muito rígido consigo, pode ser sinal de baixa autoestima. Nesse casos ouvir “não” do cirurgião é possível e a recomendação é que você se consulte com um psicólogo antes da decisão final.

Prepare o lado psicológico para a realização da cirurgia plástica

Além de mudar seu cotidiano, a plástica pode fazer com que você fique dependente do auxílio de outras pessoas durante o período pós-operatório. A maioria dos resultados podem demorar para serem percebidos, então é preciso aprender a lidar com esses fatores combinados e outras situações que podem vir a ocorrer.

Conclusão

O primeiro passo para realizar uma Cirurgia Plástica é a escolha do profissional. O cirurgião precisa ser transparente e não vender a plástica como um produto. Pesquise, faça uma consulta presencial, converse e tire todas as suas dúvidas!

Pense que a plástica é só uma maneira de exaltar a sua beleza natural e não influencia em nada o que você é por dentro. Esqueça os padrões e escolha ser você mesmo(a)!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp