reconstrucao-mamaria-renato-carvalho

Reconstrução mamária

Reconstrução mamária

Após a retirada dos seios devido o câncer de mama, muitas mulheres recorrem às técnicas de reconstrução da mama para recuperarem qualidade de vida, autoestima e autoconfiança. A decisão pela realização do procedimento deve ser discutida com o médico, que vai analisar o método apropriado para cada caso.

A reconstrução mamária pode ser imediata ou tardia:

Imediata: quando a paciente passa pela mastectomia e pela reconstrução em um único momento cirúrgico.

Tardia: é realizada quando a paciente não tem condições clínicas para realizar o procedimento imediatamente ou quando prefere focar inicialmente na recuperação da saúde e analisar com calma as opções de reconstrução após esse processo.

Tipos de cirurgias

Prótese de silicone: é a técnica indicada, geralmente, nos casos em que a mastectomia foi feita sem comprometer tanta quantidade de pele e para pacientes que não possuem tecido suficiente para reconstruir a mama. O ideal é conversar com o cirurgião para a correta indicação de formato, textura e projeção da prótese.

Uso de expansores: consiste em inserir uma espécie de prótese vazia sob a pele para promover, gradualmente, a expansão do tecido, por meio da aplicação de soro fisiológico, até atingir o tamanho desejado. Depois disso, é realizada uma outra intervenção para remover o expansor e colocar o implante definitivo.

Transferência de retalhos de pele: opção que faz a retirada de tecido de uma área do corpo da própria paciente para reconstruir a mama. Os principais tipos de reconstrução com transferência de retalhos de pele são:

Retalho miocutâneo do músculo reto abdominal (TRAM): utiliza pele, gordura e músculos da parte inferior abdominal.

Retalho perfurante da artéria epigástrica (DIEP): retira parte do tecido adiposo da barriga para inserir na região a ser reconstruída.

Pós-operatório

Após a cirurgia utilizando retalhos e/ou inserção de um implante, gazes e fitas serão aplicados nas incisões. Uma bandagem elástica ou sutiã irá minimizar o inchaço e sustentar a mama reconstruída. Um dreno pode ser temporariamente colocado sob a pele para drenar qualquer excesso de sangue ou de fluido.

Você receberá instruções específicas, incluindo: Como cuidar de sua mama após a cirurgia, os medicamentos que deve tomar por via oral para ajudar a reduzir o risco de infecção, preocupações específicas a procurar no local da cirurgia ou em sua saúde geral, e como será o acompanhamento com o cirurgião plástico.

Dados: SBCP

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp